quarta-feira, 27 de julho de 2011

Cangaceira inspira romance histórico

Na edição de segunda-feira (25), Dia do Escritor, o Caderno 2 do Jornal A Tarde (Caderno de Cultura) escolheu dentre os escritores baianos, o jequieense Domingos Ailton, para homenagear na data, com destaque de capa sob o título “Cangaceira inspira romance histórico – Vida de Anésia Cauaçu é contada por Domingos Ailton”. Na página central e na página 3 do citado Caderno, a reportagem assinada pelo jornalista Juscelino Souza, da Sucursal de A Tarde de Vitória da Conquista, se reporta a produção e ao processo de criação literária do escritor jequieense, a influência do estilo amadiano no seu trabalho ficcional e como Domingos Ailton escreveu Anésia Cauaçu, um romance histórico baseado em relatos orais, jornais da época em que viveu a cangaceira, pesquisas científicas, livros sobre Jequié e dissertações sobre o banditismo e o coronelismo na região.

O romance, que pode ser adaptado para uma minissérie na televisão, revela que Anésia Cauaçu foi uma mulher que esteve à frente do seu tempo. Além de anteceder Maria Bonita no Cangaço, ela liderava um bando, foi a primeira mulher no sertão de Jequié a montar de frente e usar calças compridas para facilitar os combates, lutava capoeira, tinha uma pontaria invejável e fazia uma reza que a fazia em muitos momentos envultar (desmaterilizar) e virava uma rocha ou toco de árvore”, conta o escritor Domingos Ailton.

Para compor os personagens, Domingos Ailton ouviu relatos que chegaram a conhecer personagens do romance, como a centenária Alvina Ferreira, que conviveu com Anésia Cauaçu e morreu aos 112 anos, ou Braulino Antônio de Souza, que morreu anos 96 anos. A reportagem mostra também fotos de Domingos Ailton nas proximidades da Pedra do Curral e do Morrinho da Matança, cenários onde ocorreram os fatos reais das brigas entre cangaceiros e os jagunços e a polícia, locais também que estão na obra ficcional do escritor jequieense.

(Do blog Jequié Repórter)

Abaixo, reprodução da reportagem publicada no A Tarde - assinada por Juscelino Souza. Clique sobre as imagens para ampliá-las:

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Cantiga de Amigo

Para celebrar o Dia Internacional da Amizade, uma cantoria do nosso conterrâneo Elomar Figueira, entoada ao lado dos malungos Xangai, Vital Farias e Geraldo Azevedo e registrada em 1986.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

11º Festival Nacional de Forró de Itaúnas

Conceição da Barra, no litoral norte do Espírito Santo é lugar de belas praias e um só ritmo: o forró pé de serra. A cidade fica a 260 km da capital Vitória. Para chegar lá, é só pegar a BR 101 e depois seguir pela rodovia estadual 421. A antiga Vila Itaúnas é a capital nacional do forró pé de serra. Por isso, o turista curte a praia já pensando no arrasta pé. No mês de julho, acontece o Festival Nacional de Forró. Lua no céu, sanfona, zabumba e triângulo no salão.


Quando: De 16 a 24 de julho
Local: Bar Forró de Itaúnas.

Programação:

16/07 - Sábado
Trio Bastião, Duani, Os 3 do Nordeste e Quarteto Capixaba
17/07 - Domingo
Forrobodó, Faxeiro S/A - SP, Forró Chibata (BA), Trio Caruá (SP), Nó do Sertão (ES), Wlad e sua gente (RJ), Duka Santos (SP), Trio Juriti e Trio Nordestino
18/07 – Segunda-feira
Trio Araçá, Os 3 de Maria (SP), Trio Caiçara (BA), Pisada Nordestina (ES), Baionesas (SP), Democráticos (MG), Jorge do Rojão e os Swingueiros (SP), Os 3 do Nordeste e Trio Bastião
19/07 – Terça-feira
Trio Juriti, Trio Mafuá (ES), Quarteto Baianado (BA), Forasteiros (SP), Trio Remelexo (RJ), Raízes do Sertão (DF), Trio Raiz da Serra (SP), Zé Mocó e Diego Oliveira
20/07 – Quarta-feira
Trio Candieiro, Expresso Nordeste (ES), Trio Ladainha (MG), Trio Saudade (BA), O xodó de Helena (SP), Bruno Silva e Sarapatel com Pimenta (BA), Ó do Forró (SP), Expresso Nordeste (ES), Tiziu do Araripe e Trio Xamego
21/07 – Quinta-feira
Diego Oliveira, Semi-Final com 6 grupos classificados, Messias Holanda e Dona Zefa
22/07 – Sexta-feira
Trio Candieiro, Semi-Final com 06 grupos classificados, Trio Virgulino e Trio Xamego
23/07 - Sábado
Dona Zefa, 3ª, 2ª,1ª COLOCADO, Forroçacana e Quarteto Capixaba
24/07 - Domingo
Trio Candieiro e o campeão da 11ª edição

Informações: Jornal Hoje

quinta-feira, 7 de julho de 2011

A festa dos “encourados”

Ensaio - Revista Caros Amigos - Ed. 171





Fotos: Jesus Carlos

A festa dos “encourados” - Os homens de couro chegam de todos cantos do submédio São Francisco, região que se estende de Remanso, na Bahia, a Ouricuri e Serra Talhada, em Pernambuco. O amarronzado dos jalecos (gibões), dos guarda-peitos, das perneiras, das luvas e dos chapéus de couro predomina. Fazendo muito alarido, circulam, com seus cavalos, pelas ruas da cidade de Santa Maria da Boa Vista, no sertão pernambucano, distantes uns 600 quilômetros da capital, Recife. Aqui, durante três dias deste final da primeira quinzena de maio, os “encourados” são as principais personagens de uma festa que se realiza há nove anos, que se transformou no grande acontecimento do ano por essas bandas: a Festa de Vaqueiros de Santa Maria da Boa Vista.

Texto: José Paulo Borges.

sábado, 2 de julho de 2011

Roteiro: Caruaru (PE)

Encravada no agreste pernambucano, Caruaru é considerada a capital do forró, mas também pode ser lembrada por ser um grande pólo comercial e considerada pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) como o maior “Centro de Artes Figurativas das Américas”.

A cidade, que fica a 130 km de Recife, tem a origem de seu nome incerta. Uma das explicações é que o nome Caruaru deriva do dialeto dos índios cariris, que habitavam a região na época da chegada do homem branco, no século 16. “Caru” significa alimento, coisa boa, e “aru aru”, uma repetição que significa abundância. A palavra Caruaru, então, poderia ser traduzida como terra da fartura.

Ligada ao comércio desde sua formação, Caruaru procura expandir sua vocação para o turismo. O principal evento é a festa de São João, que deixa o caruaruense orgulhoso em dizer que sua cidade é a capital do forró e que faz o melhor e maior São João do mundo.

De fato a festa é grandiosa. Durante os 30 dias do mês de junho, Caruaru recebe cerca de 1,5 milhão de pessoas para a festa popular. O principal arraial, a Vila do Forró, tem um pátio de 41 mil metros quadrados com capacidade para até 80 mil pessoas. Bandas de pífanos, bacamarteiros, sanfoneiros, drilhas e bonecos de barro espalham-se pela cidade.

A cada ano Caruaru promete trazer as maiores atrações, como a maior fogueira, o maior cuscuz, a maior pamonha, o maior pé-de-moleque e o maior arroz doce do mundo.

Para que os visitantes possam apreciar a cidade não só na época das festas juninas, Caruaru também está voltando suas atenções para o Carnaval, Semana Santa e Natal, além de investir no esporte, levando disputas automobilísticas ao autódromo Ayrton Senna. (da Folha Online)

Pontos turísticos
FEIRA DE CARUARU
Cantada por Luiz Gonzaga e tradicional lugar para se encontrar os "bonecos de Mestre Vitalino", na feira tem de tudo, de frutas, verduras, cereais, ervas medicinais, carnes, a roupas, calçados, bolsas, utensílios para a casa, animais, ferragens, artesanato, cordéis, eletrônicos e até importados. A Feira de Caruaru é considerada a maior feira ao ar livre do mundo, e devido a sua fama e comércio atrai vários turistas durante o ano. A feira é considerada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) como patrimônio imaterial do Brasil.

ESPAÇO CULTURAL TANCREDO NEVES
Abriga pavilhão de exposições e feiras, as sedes da Secretaria de Turismo e da Fundação de Cultura, além do Museu da Caruá e outras unidades culturais (MUSEU DO BARRO DE CARUARU – ESPAÇO ZÉ CABOCLO, MUSEU LUIZ GONZAGA, ESPAÇO ELBA RAMALHO e o MUSEU DA FÁBRICA CAROÁ). Na área externa foi implantado o Pátio de Eventos Luiz Gonzaga, principal polo de animação dos festejos juninos.

ALTO DO MOURA
Considerado pela Unesco o maior Centro de Artes Figurativas das Américas e localizado a 7 Km do centro da cidade, este povoado concentra mais de 1.000 artesãos que moldam o cotidiano do homem nordestino no barro, perpetuando a arte do Mestre Vitalino. Lá fica a CASA MUSEU MESTRE VITALINO e o MEMORIAL MESTRE GALDINO.

AUTÓDROMO AYRTON SENNA
No Autódromo Ayrton Senna acontece corridas automobilísticas como a Fórmula Truck.

MORRO DO BOM JESUS
Com 630 metros de altura é o ponto mais alto da cidade. Caruaru cresceu ao redor do morro.

SERRA DOS CAVALOS
Altitude aproximada de 900 metros e uma área de brejo medindo 359 hectares, é uma reserva estadual de Mata Atlântica de proteção ambiental municipal.

MEMORIAL DE CARUARU
O Memorial da Cidade é um museu que conta a história de Caruaru em seus aspectos político, econômico, social e cultural. O museu funciona em um histórico prédio construído em 1923 para abrigar os comerciantes de farinha de mandioca e cereais.

Como chegar:
De carro ou ônibus. Principais rodovias de acesso: BR 232 e BR 104.

Distâncias: Recife: 132 km; Campina Grande: 166 km; Garanhuns: 109 km; Serra Talhada: 289 km; Salgueiro: 389 km.

(Informações do portal oficial da cidade, do Iphan e do Ministério do Turismo)