terça-feira, 2 de abril de 2013

J. Borges ilustra clássico dos irmãos Grimm

O xilogravurista pernambucano J. Borges foi o responsável por ilustrar os dois volumes dos “Contos maravilhosos infantis e domésticos”, edição especial que a editora Cosac Naify lançou, no ano passado, para celebrar os 200 anos da primeira publicação (de 1812 e 1815) das famosas histórias reunidas pelos irmãos Grimm.


Para a edição dos contos dos Grimm ele criou ao todo 43 ilustrações, espalhadas pelos dois volumes. Algumas delas, como a que ilustra “A maldita fiação do linho”, lembra as fiadeiras do caroá, fibra que já foi muito explorada na região agreste. Foi a aproximação entre esses dois universos narrativos (as fábulas europeias e os cordéis brasileiros) que motivou a Cosac Naify a convidar Borges para fazer as ilustrações.

Os contos dos Irmãos Grimm são caracterizados como maravilhosos, não exatamente de fadas, daí a origem do título do livro. Uma das principais características desses contos são as transformações, as metamorfoses pelas quais passam os personagens. O trabalho de J. Borges tem construção muito interessante de personagens que se metamorfoseiam — observa Isabel Coelho, diretora da área infantojuvenil da Cosac. — Outro ponto comum é o caráter popular tanto dos textos, extraídos da cultura oral alemã, quanto do trabalho de Borges. Alguns contos trazem algo de violento, que nos desenhos de Borges se tornam quase cômicos, dando leveza à leitura.

A coletânea apresenta alguns dos títulos clássicos como 'O rei sapo ou o Henrique de ferro', 'Rapunzel', 'Hans Meu Ouriço', 'Estranha hospitalidade', 'Mil peles', 'A Gata Borralheira' e 'O irmão fuliginoso do Diabo'.

Veja algumas das xilogravuras que estão no livro, abaixo.

Um comentário:

Ana Sertã disse...

Oi! Você sabe de alguém que estaria disposto a vender um exemplar desse livro? Por favor, entre em contato comigo pelo meu e-mail (se souber!): ana.serta@gmail.com