quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

“Precisamos respeitar a nossa identidade”

Antônio Andrade foi destaque no blog da IV Conferência Estadual de Cultura da Bahia (Secult-BA), onde expôs seu acervo de cordeis e contribuiu com a divulgação da rica cultura nordestina, do artesanato à poesia, como postamos anteriormente. Confira abaixo a postagem do blog da Conferência:

Foto de Alex Oliveira (Agecom-BA)
Antônio de Andrade é professor e se dedica à divulgação da cultura sertaneja. Em um stand montado durante a IV Conferência Estadual de Cultura, ele exibe cordéis, fotografias da época do Cangaço, xilogravuras, além de livros de diversos artistas do Nordeste. “Se a gente não valorizar a nossa cultura, quem vai respeitar? É preciso divulgar a cultura popular, a identidade viva do nosso povo”, disse Antônio.

Um comentário:

Versos diversos disse...

Agosto de 89
23 anos passado
Com 76 se foi
Deixou-nos o seu legado
Aos 100 estamos chegando
E todos estão cantando
As obras do seu reinado

Asa branca bateu asa e foi embora
E deixou muita lembrança no sertão
Carregou no seu bico á melodia
Transformou saudade em inspiração
Nessa terra que gerou Luiz Gonzaga
Cara de lua o eterno rei do baião

Os cem anos que guardamos cá no peito
É lembrança de saudade sim senhor
Um centenário de Luiz ainda é pouco
Pra lembrar-se do grandioso cantador
O nordeste com Luiz foi mais nordeste
Um matuto ensinando professor

Na sanfona o registro verdadeiro
Dedilhando as coisas da sua gente
O sotaque arrastado anunciando
Que a terra donde vinha era quente
E no peito ecoando uma oração
Transformando o baião em um repente

A serra do Araripe oferecia
Pra Luiz inspiração vinda do céu
E assim tinha sua poesia
A sutileza de um grande menestrel
Derramando novo verso com a riqueza
Que oferece as estrofes de um cordel

carlossilvampb@yahoo.com.br
http://cantosemcordeis.blogspot.com


Pra Gonzaga o Brasil era sertão
E o sertão era seu maior Brasil
Pois herdou de Exu simplicidade
E espalhou nesse solo varonil
Misturando São Paulo com Araripe
Minas Bahia e Alagoas com o Rio

Enfrentou a aridez do preconceito
Pois também sofreu discriminação
Pra tocar em troca de uns trocados
Suportou com altivez a humilhação
Luiz hoje é um simbolo nordestino
É majestade chamado rei do baião

Canta canta meu Brasil Gonzagueado
O Centenário desse grande brasileiro
Que fez historia no nordeste e no Brasil
Mostrou a cara com carisma verdadeiro
Sendo assim merecedor de homenagem
Respeitado, até lá no estrangeiro.

Chapéu de couro e gibão usou com honra
Por amor ao solo pátrio nordestino
Cantou a voz que o povo canta e até hoje
Asa branca é um verdadeiro hino
Gonzagão faria tudo outra vez
Se tivesse a permissão do Deus divino

Tenha orgulho do seu povo e sua terra
Como teve Luiz teu grande irmão
Se alguém cá vier lhe perguntar
Responda com orgulho no coração
Sou da terra que pariu Luiz Gonzaga
Conterrâneo do nosso rei do baião

Carlos Silva – poeta cantador Brasileiro,
(75) 3448-1159 – Incentive a cultura popular. Adquira nossos livretos de literatura de cordel, seja nosso parceiro cultural.