sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

História misteriosa do Homem da Meia-Noite comemora 80 anos


O mês do Carnaval 2012 já começou com comemoração no Sítio Histórico de Olinda. A figura mística do Homem da Meia-Noite, importante bloco carnavalesco da cidade, completa 80 anos de vida no dia 2 de fevereiro. Coincidência ou não, na mesma data em que se comemora o Dia de Iemanjá, a rainha do mar.

A criação do clube, nascido no ano de 1932 após uma briga entre os intregrantes da tradicional troça carnavalesca O Cariri de Olinda, ainda conta com duas versões muito fortes. A primeira afirma que um dos fundadores, Luciano Anacleto de Queiroz, apaixonado por cinema, se encantou com o filme O Ladrão da Meia Noite. O enredo contava a história de um galante homem que saía de dentro de um relógio gigante para assaltar a população de uma cidade.

Já a segunda história é ainda mais folclórica. Conta-se que um dos criadores do clube, o carpinteiro e músico Benedito Bernardino da Silva, sentava-se na calçada de sua casa para tocar instrumento de sopro. Todo santo dia via um elegante senhor, com os mesmos trajes do boneco gigante, cartola na cabeça, dente de ouro e um sorrijo malicioso, passar pela rua por volta da meia-noite. A história do homem misterioso foi descoberta logo depois por Seu Benedito. "Depois de um tempo, Seu Benedito descobriu que aquele homem era na verdade um Dom Juan, que usava as madrugadas do sábado para pular as janelas das casas para namorar donzelas", conta Luiz Adolpho, presidente do bloco desde 2002.

Cheio de raízes históricas, este galante homem arrasta, todos os anos, a partir da meia-noite do Sábado de Zé Pereira, uma multidão de foliões hipnotizados pelo mistério do calunga. Para Luiz Adolpho, a paixão dos que acompanham o gigante homem chega a uma espécie de devoção. "O desfile é quase uma romaria religiosa. As pessoas seguem a figura como se acreditassem em algo superior. Muitos passam pela sede, param em frente ao homem e fazem orações", afirma.

A vontade de preservar a identidade do bloco, que se sustenta pelo boneco gigante, é tão grande que o calunga (conta-se que a estrutura da cabeça ainda é a original, de 80 anos atrás) é guardado a sete chaves. Todas as aparições do boneco antes do desfile na meia-noite do sábado de Zé Pereira, que deve arrastar este ano cerca de 500 mil pessoas, são feitas com a réplica do boneco gigante.


FESTA - A noite desta quinta (2) será especial. O bloco se reunirá a partir das 19h15, com orquestra de frevo e grupo de maracatu. Para cantar os parabéns, um bolo de 200 quilos foi encomendado e será distribuído para a comunidade. A festa contará com a presença da filha de Seu Benedito, Dona Irene, 90 anos.

Com o tema 'O Espetáculo Não Pode Parar', o clube trará duas alegorias, homenageando a história do circo. O ano da 80º edição do Homem da Meia-Noite também será marcado no tradicional desfile do Clube de Máscaras Galo da Madrugada. A primeira aparição do homem gigante no carnaval olindense será nas Virgens de Verdade Abraça Brasil, neste domingo (5).

PAIXÃO - Por onde passa, o Homem da Meia-Noite conquista muitos admiradores. Grande nome da cultura pernambucana, a artista plástica Tereza Costa Rêgo se considera apaixonada pelo boneco gigante. Exilada em 1973 pelo regime militar da época, Tereza voltou em 1979, onde a história de amor dos dois começou. "Voltei muito triste com a morte de meu companheiro. Mas, um certo dia, escutei o som dos clarins pelas ruas de Olinda. Quando abri a janela, me deparei com aquele boneco gigante", relembra a artista. (Do NE10)

Um comentário:

Anônimo disse...

Eu nunca vi o homem da meia noite mais eu amo ele, quando eu vejo ele em alguma foto eu me arrepio toda. Mais eu amo esse calunga. E parabens pra ele pelos 80 anos.