quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Quem foi Raymond Cantel?

Raymond Cantel em xilogravura de J. Barros
Doutor em Letras Portuguesas e professor da Língua Espanhola na Faculdade de Letras e Línguas na Universidade Poitiers (França), Cantel (1914-1986) começou a viajar para o Brasil em 1959. Nessa época teve contato com poetas populares, cantadores e xilógrafos. A partir daí, passou a se interessar pela literatura popular em versos, na qual ele via um pouco da tradição europeia medieval. Em suas viagens, o pesquisador não se limitava só à compra dos folhetos de feira e de xilogravuras, mas também gravava cantorias e narrativas populares.

Poetas populares, como Apolônio Alves dos Santos, diziam que a denominação LITERATURA DE CORDEL só apareceu na década de 1970, com as pesquisas de Raymond Cantel. Manoel Monteiro, poeta de Campina Grande, diz que foi o francês o primeiro a dizer que os folhetos de feira eram pendurados em barbantes e cordas. Na realidade, a literatura popular em versos (ou, o folheto), inicialmente, era vendida no chão, espalhados sobre lonas.

Hoje, na Maison dês Sciences de I’Homme et de La Sociéte (Universidade de Poitiers), o Centre de Recherches Latino-Américaines trabalha com vários acervos, um deles é o Acervo Raymond Cantel de Literatura de Cordel, o maior da Europa.

DENOMINAÇÃO - Esse tipo de literatura chegou à América Latina através dos colonizadores portugueses e espanhóis. No Brasil, os folhetos surgiram por volta de 1890, inicialmente, nas feiras nordestinas. Em Portugal, eram chamados de Folhas Soltas (ou Folhas Volantes); na Espanha, “Pliegos Sueltos”; e na França, “Littérature de Colportage”; no México e Peru eram conhecidas como “corrido” e na Argentina, “hojas”. Por aqui passou a se chamar Literatura popular em versos ou folhetos de feira. É considerado folheto o de 8 a 16 páginas e, a partir de 24, é chamado de romance.

Informações de artigo de Manuela Fonseca Santos - publicado na Revista de Estudios Iberoamericanos, n. 2, de Junho de 2005.

5 comentários:

Dilsinho EC disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dilsinho EC disse...

Eu tenho possibilidades de ser parente dele, pois meu nome também leva Cantel EC = "Edilson Cantel"

Dilsinho EC disse...

Eu tenho possibilidades de ser parente dele, pois meu nome também leva Cantel EC = "Edilson Cantel"

Dilsinho EC disse...

Tenho possibilidades de ser parece dele, pois meu nome também leva o sobrenome de Cantel "Edilson Cantel"

Claudio Marques disse...

Boa noite. Meu trisavo e meu tataravo tinham Cantel no sobrenome