terça-feira, 8 de maio de 2012

Festival da Juventude: Cultura popular é tema de destaque em roda de conversa


(da Secom/PMVC)

Um bate-papo descontraído, ao som de música, versos, repentes e literatura de cordel, marcou a realização da roda de conversa “Tradição e Cultura Popular”, realizada na manhã deste sábado, 5 de maio, na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/Uesb, como parte da programação do 1º Festival da Juventude de Vitória da Conquista.

Durante a roda de conversa, participantes discutiram sobre a necessidade da valorização da cultura popular, literatura de cordel e sobre a relação que o tropeirismo teve na formação da cultura de Vitória da Conquista. “Trouxemos temas polêmicos, provocativos na intenção de despertar o olhar e a sensibilidade da juventude para que ela vá a campo continuar esse debate e para que isso ascenda políticas públicas”, declarou a historiadora e coordenadora da ONG Carreiro de Tropa, Maris Stella Schiavo.

Para o cantador e cordelista Maviael Melo, o espaço de debate proporcionado pelo Festival da Juventude de Vitória da Conquista é um importante passo para a promoção de ações concretas em prol da construção de uma política cultural. “São esses espaços, esses festivais que colocam a juventude para pensar e que trazem os jovens para a luta, para que eles possam contribuir, ser atores, cobrando e exigindo que isso se torne uma política publica de construção coletiva. É necessário começar a agir por uma cultura melhor, um meio ambiente melhor e uma violência menor”, enfatizou.


O cantor e repentista, Onildo Barbosa, deu um show de cultura durante a roda de conversa. A declamação de versos populares resultou em uma longa salva de palmas. Segundo ele, as discussões realizadas durante o segundo dia do Festival da Juventude foram riquíssimas. “A cultura popular ainda permanece sentada no chão, por isso esses debates devem acontecer mais vezes para levar para esses jovens o sabor da poesia, do repente, da vaquejada, do cordel, do poema e da música para que nossa cultura popular tenha um espaço mais amplo”, ressaltou.

Quem participou das discussões aprovou a iniciativa. “Foi uma roda de conversa que trouxe muito conhecimento sobre cordel e cultura popular para a gente aprimorar aquilo que aprendemos em sala de aula”, contou a estudante de história, Jamile Bispo Loriano. Ela veio de Eunápolis, extremo sul baiano, só para participar do evento em Vitória da Conquista. A pedagoga Priscila Correia vai aproveitar para abordar os temas do festival na escola em que trabalha. “As temáticas estão muito interessantes. Optei por cultura popular para fazer uma ponte com educação para trabalhar em sala de aula”, contou.

Lançamento - Além das discussões, durante a roda de conversa “Tradição e Cultura Popular” também foi feito o lançamento do livro “Ciclos”, de Maviael Melo. O livro reúne versos  sobre temas diversos, tendo como referência a poesia de cordel. A obra retrata sentimentos do ser poeta e cidadão.

Nenhum comentário: